O que Mudou no Pequeno-Almoço na Hotelaria

Já nem é moda. Fotografar comida, é hábito. Os foodies e o mundo instafood mexeram com a restauração no que toca a empratamento (loiça, ordem, set-up da mesa), apresentação (composição do prato, frescura, criatividade, etc) e até iluminação- pois na altura de se fotografar um prato precisamos da luz certa, já que as fluorescentes tipo clínica hospitalar ou loja barata não ajudam.

Se a restauração tradicional não escapou à tendência, a hotelaria também não, nem aqueles que não servem refeições! Pois pequeno-almoço todos (devem) servir. E a um passo muito lento se verifica em Portugal, entre queixumes de custos e a ameaça da ideia de um mau-review online, uma alteração que vai acontecendo. E na prática, muito pouco se pede.

Nos pequenos-almoços dos hotéis já vemos soluções gluten-free, bagas goji e fruta variada. Amen!

A TH2 fez um estudo sobre o que era mais apreciado e valorizado nos pequenos-almoços através de um pequeno inquérito (ainda pode participar!) deixando aqui algumas sugestões e conclusões, com recurso a chavões e dizeres:

A seu ritmo

Cada hóspede tem o seu horário e rotina ao acordar. Lembra-se da máxima das Regras Xenia "respeito do anfitrião ao hóspede"? É aqui aplicável: não interfira, colabore! Não tente ser demasiado simpático e intrusivo. Esteja simplesmente atento (não intrometido) e disponível (não demasiado prestável). Afinal, o dia está a começar e deve ser positivo, calmo. Considere os horários deste serviço, mesmo com opções de entrega no quarto. Há que acorde cedo... há quem tenha filhos pequenos e precise de 2 pequenos-almoços, há quem goste de acordar tarde e ficar só a brunchar. Preocupado com os clientes que comem 2 x? E os hotéis que têm sempre café/chá e bolo à fatia nas salas de estar? Ajuste-se ao ritmo do seu hóspede.

Neutro

"O silêncio é de ouro"- tantas vezes se diz e muito poucas vezes se adopta. Pela manhã podemos (e devemos) optar por ter som ambiente na sala de refeições, mas escolha um estilo musical neutro. Televisão, noticiários e demais informação sonora, podem ser prejudiciais. A ausência de som deve ser implementada quando temos música natural como chuva, vento, mar. Disfarçar ruído de máquinas deve ser tentado com música ambiente. A presença de música também vai transmitir calor, familiaridade e a sensação que não são os únicos hóspedes da casa nem os primeiros (ainda que isso seja verdade)

Genuíno

"Menos é mesmo mais"- Não precisamos de 20 tipos de pão e bolos. Precisamos de um estilo de pequeno-almoço adoptado para fazer sentido, para ser servido com carinho de quem nutre um convidado que está sobre a nossa alçada. Quão carinhoso é esse penesamento? Chama-se hospitalidade ;) Bom, fazer um bolo, servir pão quente (há sim soluções de pão congelado ou pré-cozido muito boas) e sobretudo a preocupação de oferecer sumo de laranja natural. Dá trabalho? Toma-nos muito tempo? Chama-se actividade hoteleira bem feita, cuidada. Gasta-se muito dinheiro? Aumente a tarifa do quarto em 1, 2, 4€ mas não deixe de o fazer. Somos um país de sol com laranjeiras nas avenidas e praças. Temos fruta boa, doce e bem barata. Faça uso disso. Um bolo feito por nós, em casa, será sempre isso mesmo. Esqueça as embalagens e estude a fundo os procedimentos HACCP pois a ASAE não é um bicho de 7 cabeças. Somos um país com cuidados de higiene bem acima de muitos. Não interprete a legilação à sombra do menor esforço: use pequenos recipientes, aprenda receitas de manteigas, pão e surpreenda.

Considerativo

Há muito que nos preocupamos com os diabético. Para quê os revirar de olhos cada vez que falamos que temos um hóspede vegetariano? Massa, pizza, ovos, queijo... são opções vegetarianas. Estude também vegan, gluten free e lactose-free. A ignorância sobre os temas só nos faz isso mesmo: ignorantes. Mais que modas são intolerâncias, opções de vida e estilos de vida que devemos respeitar. Ninguém nos está a impor. A hotelaria e o turismo são sectores de tolerância. Trabalhar na área dos serviços é gostar de trabalhar com pessoas.

É o momento alto, a expectativa suprema de um hóspede- o pequeno-almoço, por isso sirva e dê. Dedique-se: respeite o cliente e deixe que o pequeno-almoço decorra a seu ritmo, aprendendo a adaptar-se a ele; seja neutro: as áreas comuns devem servir como um escape dos quartos- neutros. Não precisamos praticar sempre a tradição, mas ajuda: aprenda, pratique e dedique-se a receitas genuínas e sobretudo feitas em casa de pão, bolos, compotas, manteigas. E não se esqueça da hospitalidade ao considerar divergências.

Bom pequeno-almoço ;)

0 visualização

(+351) 210 994 958

Avenida Álvaro Pais, 12D Lisbon Portugal 1600-007

  • YouTube
  • Pinterest

©2019 BY TH2